Painel Temático - 17h às 19h | Programação 17/07 - 6ª Feira.

MESA 4: A mercantilização da saúde em foco e suas repercussões sobre o ensino da saúde.

CONVIDADOS:
Maria de Fátima Siliansky de Andreazzi
Professora Associada da Graduação e Pós-Graduação do Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da UFRJ
Lara Vitória Lara d’Almeida
Estudante de Graduação de Saúde Coletiva da UFRJ. Bolsista de Iniciação Científica do CNPQ
Carlos Nunes do Nascimento Jr.
Graduação de Medicina da UFAM. Diretor Científico da Direção Nacional dos Estudantes de Medicina
Rafael Caruso
Farmacêutico. Discente do Mestrado em saúde Coletiva do IESC/UFRJ

 IMG 20200714 WA0056 web

 

Painel Temático - 14:30 às 16:30 | Programação 15/07 - 4ª Feira.

MESA 3: O papel da extensão universitária e do sanitarista no contexto da pandemia do coronavírus

CONVIDADOS:
Paula Pungartnik - Graduanda do curso de Saúde Coletiva.
Lana Meijinhos - Graduanda do curso de Saúde Coletiva.
Karina Corrêa - Graduanda do curso de Saúde Coletiva.
Tainara Melo - Graduanda do curso de Saúde Coletiva.
Geraldo de Oliveira - Responsável pelo apoio técnico.

WhatsApp Image 2020 07 14 at 190246

 

 

Coordenação Profª Kátia Block

Com o início da pandemia de SARS-CoV-2 e a necessidade de isolamento social houve um imenso fluxo de informações sobre a doença, algumas confiáveis e muitas fake news. Este projeto disponibilizará informações de qualidade e com respaldo científico sobre a covid-19, links para documentos oficiais, filmes no youtube e formas de acesso a entretenimentos culturais e artísticos, atividades físicas para fazer em casa, além de passatempos para o período de isolamento social imposto pela pandemia. Os visitantes interessados em participar de uma pesquisa sobre o perfil dos visitantes e perguntas mais frequentes, poderão fornecer informações (sexo, idade, escolaridade, bairro de residência) para análise do perfil dos mesmos e investigação da associação de suas características com o tipo de informação procurada. O acesso se dará através da página do projeto Erica - Estudo de Risco Cardiovascular em Adolescentes (www.erica.ufrj.br). O Erica avaliou adolescentes de 12 a 17 anos de escolas públicas e privadas de cidades brasileiras com mais de 100.000 habitantes em 2013-2014. Em uma subamostra de quatro cidades, Rio de Janeiro, Fortaleza, Distrito Federal e Rio Grande do Sul os adolescentes estão sendo acompanhados para avaliação da persistência e incidência de fatores de risco cardiovascular (hipertensão arterial, diabetes, obesidade e outros) em um estudo longitudinal.

Se você é aluno da UFRJ e quer participar deste projeto você pode fazer parte da equipe executora; acesse o SIGA para se inscrever.

Coordenação: Profª Paula Brito

O Projeto CASA (Comunidade Acadêmica que dá Suporte à Agricultura) foi criado em 2016, a partir de uma ação extensionista de coletivos que integram a Rede de Agroecologia da UFRJ. Esta atuação se dá através de atividades que visam o estreitamento da relação produtor-consumidor, baseados em conceitos da Agroecologia e Permacultura. Trata-se de uma CSA (Comunidade que Sustenta a Agricultura), um sistema de associação entre agricultores e consumidores que objetiva cobrir os custos de produção, garantir alimentos agroecológicos para os consumidores e aproximar estes atores, atualmente tão pouco articulados, tendo em vista o afastamento campo-cidade. Tais objetivos são viabilizados em diferentes momentos de partilha: durante a entrega semanal das cestas de alimentos na Feira Agroecológica no Fundão, nas vivências agroecológicas e dias de campo que acontecem nos sítios e quintais dos agricultores e em eventos que criam espaços de discussão intra e extra acadêmicos. As ações têm como público alvo a comunidade interna e externa à instituição, incluindo consumidores da Feira e os próprios agricultores, além dos participantes das Vivências e de outras organizações que atuam nesta temática e são parceiras do Projeto. Busca-se a integração das demandas de produção e consumo de forma colaborativa, possibilitando a geração de renda, a solução de problemáticas ambientais e a melhoria da saúde, além de promover a aproximação entre campo e cidade.
Neste momento de isolamento social, o Projeto se mantém, estando envolvidos no mesmo (agricultores, comunidade acadêmica e extensionistas) na busca de reinventar as ações, frente aos novos desafios. Isso inclui a articulação e engajamento de todos para colaborar no escoamento da produção dos agricultores e a manutenção de encontros virtuais nos grupos envolvidos, dentre outras atividades.

 

Coordenador: Prof Antônio José Costa

A epidemia de COVID-19, por sua elevada magnitude e transcendência, impõe a necessidade de soluções de curto prazo para a mitigação dos impactos sobre a saúde das populações afetadas. A vigilância epidemiológica compõe o conjunto de ações de saúde coletiva para controle de epidemias, contribuindo para o conhecimento oportuno da ocorrência das doenças e agravos e sua distribuição no tempo, no espaço e segundo subgrupos das populações. O objetivo deste projeto é apoiar o desenvolvimento das ações de vigilância epidemiológica da COVID-19 no estado do Rio de Janeiro. O espaço da vigilância epidemiológica nos serviços de saúde propicia a educação continuada, promovendo a interlocução entre a universidade e os serviços de saúde e a troca de conhecimentos e experiências entre docentes, alunos e técnicos que atuam no Sistema Único de Saúde – SUS.

O projeto tem por objetivo apoiar o desenvolvimento das ações de vigilância epidemiológica da COVID-19 no estado do Rio de Janeiro. As atividades realizadas serão: 1. Treinamento para realização de notificação e investigação de casos suspeitos de Síndrome Gripal (SG) e de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), de acordo com as normas e orientações da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde; 2. Elaboração de rotinas de análise dos dados e produção de informação de retorno sobre casos notificados de SG e de SRAG utilizando o software R, tabuladores e outras ferramentas de análise de dados de domínio público.

Se você é aluno da UFRJ poderá fazer parte da equipe de execução do projeto realizando seu pedido de inscrição através do SIGA.

 

Coordenação Profª Thatiana Fernandes

Projeto de extensão que propõe atividades inovadoras e ativas de educação em saúde para gestantes e responsáveis atendidos na Maternidade Escola (ME) da UFRJ com duração prevista de 4 anos. As atividades a serem desenvolvidas têm como foco a discussão dos efeitos da exposição aos poluentes ambientais sobre a saúde infantil, e incluem momentos presenciais na ME e o uso de ferramentas interativas digitais, através da elaboração, manutenção e criação de materiais para o Portal PipaUFRJ e Redes Sociais. O projeto trabalha com os seguintes temas: design thinking, experiência centrada no usuário, eHealth, poluição do ar e cidades inteligentes.

Neste momento de isolamento estamos realizando atividades remotas. Se você é aluno de cursos da área de saúde, de comunicação visual ou jornalismo e está cursando a partir do 3º período, tem interesse nos temas saúde ambiental, saúde materno-infantil e saúde coletiva venha fazer parte da nossa equipe. Envie um e-mail para: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

Ações do PET-Saúde/Interprofissionalidade no enfrentamento da pandemia de Covid-19 em 2020.

O PET Saúde/Interprofissionalidade é um programa do Ministério da Saúde, e, no município do Rio de Janeiro, se constitui como uma parceria entre a UFRJ e a secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, com a coordenação do médico de família e comunidade Leonardo Graever, assessor de Atenção Primária à Saúde da SMS/RJ.  

Na UFRJ o PET envolve professores e alunos dos cursos de Saúde Coletiva, Medicina, Enfermagem, Odontologia e Psicologia, bem como profissionais da Atenção Primária à Saúde, das Clínicas de Saúde da Família Zilda Arns, no Complexo do Alemão, Wima Costa, na Ilha do Governador, e Felippe Cardoso, na Penha.  

O PET-Saúde/Interprofissionalidade tem atuado em ações de enfrentamento da pandemia de Covid-19 nas três Clínicas de Saúde da Família a partir da organização de três linhas de atuação, com a participação ativa dos estudantes, preceptores e tutores:

  1. Educação popular em saúde, com a organização de materiais de informação e educação em saúde sobre Covid-19 e voltados para especificidades da comunidade atendida. Os materiais estão disponíveis em https://www.facebook.com/ufrj.pet/ e circularam também nas redes locais das clínicas de família e dos movimentos sociais parceiros. Os assuntos abordados de forma interprofissional foram, até o momento: cuidados básicos de higiene na situação de pandemia, saúde bucal e protocolo de cuidados para pacientes com sintomas de covid19; cuidados para o exercício da sexualidade nas situações de relações sexuais e afetivas no momento de pandemia, entre outros;
  2. Ações de telemonitoramento voltado para o seguimento da população atendida nas clínicas com suspeita de COVID19 conduzidas por estudantes, em conjunto com as equipes das Clínicas e sob supervisão de professores da UFRJ. Esta ação envolve alunos SUSEME (acadêmicos bolsistas da Prefeitura), alunos PET e voluntários do Internato Integrado em Medicina da Família, Saúde Coletiva e Saúde Mental;
  3. Construção de projeto de linha de cuidado em saúde mental, integrando as clínicas e os NASF das unidades, com os CAPS III (João Ferreira) e CAPSad Miriam Makeba para efetuar o cuidado em saúde mental dos profissionais (em curso) e dos usuários no momento do enfrentamento da pandemia de COVID19.
Topo